Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email

Pesquisar este blog

sábado, 20 de agosto de 2011

Carta de apoio Institucional do IGPA, por Sibeli Viana à Sec. de Cultura, INEPAC e Subsecretaria Executiva do Estado do Rio de Janeiro


Goiânia, 19 de agosto de 2011

Exma. Sra. Adriana Rattes – Secretária Estadual da Cultura
Exma Sra Olga Campista – Diretora do INEPAC
Exmo Sr. Dr. Luiz Zugliani – Subsecretário Executivo

Prezado (as) Senhor (as)

            A história do Instituto de Arqueologia Brasileira está intimamente relacionada à Casa do Capão do Bispo e ao próprio crescimento da Arqueologia no Brasil. Ele é um órgão de referência nacional e internacional não somente pelo seu mérito no desenvolvimento de pesquisas na área de arqueologia, mas também é reconhecido como lócus acadêmico de formação de arqueólogo, pois, já na década de 1970 acolhia e incentivava jovens estudantes decididos a seguir o caminho da arqueologia, ainda que naquela época havia um único curso de arqueologia no Brasil (hoje são cerca de 10 novos cursos).
 e o incentivo e reconhecimento do patrimônio arqueológico do Brasil, enquanto elemento significativo para a construção da identidade brasileira, era uma situação ainda mais complexa do que ora enfrentamos.
             Praticamente em toda a minha graduação e pós-graduação no Rio de Janeiro, tive o IAB como uma das principais referências em arqueologia, lá aprendi não somente a catalogar, analisar e interpretar a cerâmica arqueológica de diversas partes do Brasil, como também a trabalhar em equipe seja durante uma escavação arqueológica, seja nas inúmeras ações de preservação que desenvolvíamos no sentido de “cuidar” da Casa do Capão do Bispo e de divulgar o patrimônio arqueológico ali acervado, através das exposições que ajudávamos a montar e monitorar junto à comunidade em geral (moradores, escolas) e científica que sempre se fazia presente.
             A mobilização que ora integramos em prol da permanência do IAB na Casa do Capão do Bispo reflete não somente um sentimento de solidariedade, mas também um entendimento de que ele representa um espaço acadêmico e científico que trabalha para a preservação do patrimônio arqueológico, assim como da construção da identidade brasileira.

Atenciosamente,

Profa Dra Sibeli A. Viana
Diretora do Instituto Goiano de Pré-história e Antropologia – PUC Goiás
Segunda Secretária da Sociedade de Arqueologia Brasileira - SAB

Nenhum comentário:

Postar um comentário